sábado, 21 de maio de 2016

Pesquisa identifica violações de direitos e infrações a leis em programas ‘policialescos’ de rádio e TV

Ação integra o “Programa de monitoramento de violações de direitos na mídia brasileira”, desenvolvido em articulação com a PFDC
Já está disponível no site do Ministério Público pelo Direito à Comunicação (MPDCom) a íntegra da pesquisa lançada nessa segunda-feira, 16 de maio, que identifica violações de direitos e infrações a leis em programas “policialescos” de rádio e televisão no Brasil. Leiam mais

Eu sonhei que era apresentador de um programa intitulado “Coisas Boas” e a cada dia aumentava a minha audiência, face a relevância dos tópicos ou manchetes conforme descrevo abaixo.

I – a repórter “Alice” se encontra num presídio onde, tempos atrás, cada uma das 200 celas abrigava 8 homens. Hoje, apenas 2, o que corresponde a uma redução de 1.200 detentos, bem como a redução dos custos. Obs: isso só foi possível por causa da celeridade da justiça.

II – o repórter “Bento” se encontra num hospital público e não acredita no que vê, ou seja, não há mais filas, mas apenas 6 pacientes na sala de espera. Detalhe, 4 dos 6 pacientes farão apenas consultas e os outros 2 farão exames de alta complexidade.

III – o repórter “Cláudio” na manhã de hoje visitou agência de emprego e foi surpreendido, vez que na busca por trabalhadores, a agência anuncia vagas diversas. Os agenciadores constataram que trabalhadores da base da pirâmide se qualificaram e isso se deve a expansão das Escolas Técnicas/Profissionalizantes.

IV – a repórter “Débora” constatou que houve redução de 40% dos beneficiários do programa Bolsa-Família e descobriu que a redução ocorreu porque beneficiários empreenderam depois de participarem do curso “Aprendendo Empreender”. Hoje, eles seguem motivados e gratificados por não mais dependerem da ação social dos governos. Na verdade, os governos também empreenderam pelos resultados.

V – o repórter “Epifânio” está radiante e acompanha a mudança de centenas de famílias. Essas se encontravam em abrigos ou casas de amigos e parentes desde a última inundação e desmoronamento de encostas. O governo construiu casas fora das áreas de risco, o que garantirá a tranquilidade das famílias que viviam ás margens do direito. Obs: ato contínuo, a secretaria do meio ambiente revitalizará as encostas e os fundos dos vales.

VI – a repórter “Fabrícia” acompanha pessoal de cooperativa que faz a coleta de recicláveis. A atividade tem apoio das indústrias envasadoras de produtos que utilizam as pets. A cooperativa, o governo e as empresas pretendem reaproveitar materiais. Destarte, as empresas pretendem evitar o forte constrangimento em não mais testemunhar suas marcas serem carreadas para o entupimento das redes pluviais. Obs: esse tipo de propaganda é por demais negativa ou contraproducente

VII – o repórter “Gedeão” entrevista o secretário de trânsito da capital do Estado. Na entrevista, diga-se de passagem, de primeira mão, o secretário informa que haverá redução de 60% dos radares fixos e que não haverá mais radares móveis. Os 40% dos radares a serem mantidos, serão instalados naqueles pontos críticos, onde os acidentes são constantes.

VIII – o repórter “Henrique” conversou com diretor do Banco Central e ficou sabendo que na próxima reunião do COPOM estarão inclinados na redução da Taxa Selic. Nessa primeira tentativa de ajudar o Brasil estabelecerão taxa de 10%.

IX – a repórter “Ieda” nos privilegia com boa notícia, ela visitou mais ou menos 100 creches nalgumas cidades e confirmou que não há crianças nas filas de espera (vagas). Isso é muito positivo, vez que as mães poderão ajudar os pais na composição da renda familiar.

X – o repórter “Estanislau” informa que poderes executivo, legislativo e judiciário empreenderão no combate a corrupção e que todos os envolvidos serão responsabilizados, ou seja, independe da posição político/social, vez que a lei deve alcançar a todos aqueles que a desobedecem.

Por fim, dizem que os sonhos ocorrem em fração de segundos, os meus se mantêm por 64 anos.